Dupla criminosa é presa pela PCMG tentando a emissão de identidade em Ituiutaba

Dois homens, de 30 e 47 anos, foram presos pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), nesta semana, na sede da Delegacia em Ituiutaba, Triângulo Mineiro. Os suspeitos foram detidos na unidade policial quando buscavam atendimento no Posto de Identificação.

O homem de 30 anos é foragido da Justiça de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. Ele teria apresentado certidão de nascimento em nome de outra pessoa, na tentativa de obter a carteira de identidade.

Já o suspeito de 47 anos, que estava acompanhado do comparsa, foi questionado e entrou em contradição, momento em que ambos tentaram fugir do local, sem sucesso. Em seguida, o homem pegou o próprio celular e bateu contra a mesa, danificando o aparelho para destruir possíveis provas contra ele.

Com o suspeito, além do smartphone quebrado, foi encontrado mais um celular, cartão de crédito em nome de outra pessoa e uma quantia em dinheiro. Ele ainda tentou apresentar dados falsos aos policiais para não ser identificado, mas a farsa acabou descoberta.

Apurações

Após diversos levantamentos e cruzamento de informações, o suspeito de 30 anos foi identificado como natural de São Gotardo e residente na cidade de Uberlândia, constando contra ele mandado de prisão da Justiça sul-mato-grossense.

Quanto ao homem de 47 anos, os policiais encontraram com ele a chave de um carro, que estava estacionado próximo à delegacia, de propriedade de uma locadora de veículos. No interior do automóvel, foram encontrados três smartphones, uma carteira de bolso contendo cartões, cópia do certificado de registro de uma arma de fogo e documentos.

Ainda durante averiguações, policiais verificaram constar registro de apropriação indébita do veículo que estava com os suspeitos. O investigado de 47 anos teria locado o carro, com devolução prevista para o dia 30 de agosto de 2021, porém, não restitui o bem à empresa. O suspeito possui várias passagens por estelionato, uso de documento falso, além de uma investigação em andamento na Polícia Civil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *