Janones é denunciado à Justiça Federal por suposto envolvimento em esquema de rachadinha

O Deputado Federal André Janones (AVANTE) foi denunciado na PGR por um ex-assessor pela prática de rachadinha, crime de peculato.

Na denúncia que fez contra o deputado, Fabrício Ferreira aponta um “sistema de rachadinha” no mandato.

Segundo o documento, a ex-assessora Leandra Guedes, atual prefeita de Ituiutaba (MG), cidade natal do deputado, recolhia parte do salário do ex-assessor Alisson Camargos, atual secretário de Meio Ambiente do município tijucano.

Fabrício Ferreira enviou dois áudios, no qual conversaria com Alisson Camargos em julho de 2020. “Você tem que passar esse mês ainda para ele (André Janones)?”, pergunta Fabrício, ao que Alisson responde: “Tem que passar ainda. Faz as contas aí”. “Mês passado você passou quanto?”, questionou Fabrício. “Quase cinco conto (sic) que eu passo para ele. Nem nove mil eu estou tirando. Nove mil assim, no papel, entendeu? Não é fácil não, rapaz”, afirmou Alisson.

Adiante, Fabrício volta a perguntar a Alisson: “Esse mês você tem que passar mais quatro mil para eles?”. Alisson responde: “Mais de quatro mil”. Fabrício continua: “É aquele mesmo esquema, dá o dinheirinho lá para a Leandra?”, e Alisson responde: “É, ué”. “E ela pega o dinheirinho e deve passar para o André”, completa Fabrício.

Ainda de acordo com o documento apresentado, Leandra (nos áudios) é Leandra Guedes, que trabalhou no gabinete de André Janones de abril de 2019 até outubro de 2020, quando foi eleita prefeita de Ituiutaba. Alisson também deixou a Câmara nesse período, e no ano seguinte entrou para o secretariado da prefeita.

Ouça abaixo os dois áudios que vazaram nas redes sociais apontando o suposto esquema de  rachadinha envolvendo a prefeita de Ituiutaba Leandra Guedes e o deputado Federal André Janones.

A equipe de reportagem do Canal Janela Aberta entrou em contato com a assessoria do Deputado Federal André Janones e da Prefeita de Ituiutaba Leandra Guedes para solicitar uma nota sobre o caso, porém, até o momento desta não foi respondido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *