Prefeita recebe manifestantes em seu gabinete para ouvir demandas sobre novo decreto

Sete representantes de diversos setores do comércio em geral foram recebidos no gabinete da prefeita Leandra na tarde desta sexta-feira, 26, às 14h30, onde a principal pauta apresentada para a chefe do Executivo foi à possibilidade de que ela estenda, por decreto, o tempo permitido para serviço de entrega a domicílio (delivery), que por conta do novo decreto, que prevê toque de recolher das 20h às 5h, interrompe tal atividade a partir de hoje a partir das 19h.

Trabalhadores do setor de alimentação e empresários se reuniram nas imediações da Prefeitura de Ituiutaba no período da manhã, quando a prefeita possuía agenda para cumprir em duas importantes reuniões relacionadas à Saúde.

Na reunião esteve presente a prefeita Leandra; o secretário de Governo, Conrado Henrique; a procuradora do Município, Jéssica Faria e os representantes dos seguintes setores: transportes e delivery – Adson Menezes (Juice Transportes); comércio – Camila Almeida (Cresci & Perdi); alimentação – Eduardo Fernandes (Bionikão) – Renato Oliveira (Oba Pizzaria) e Sandra Aparecida (Metralhas); estética – Dora Florêncio (Dora Couffeir).

A chefe do Executivo deu início à audiência com a presença dos manifestantes e explicou a eles sobre gravidade do momento enfrentado pelo município e pela microrregião com relação à Covid-19, com extrema dificuldade com relação à ampliação dos leitos para pacientes graves acometidos com a doença e com outras enfermidades, uma vez que hospitais públicos e particulares se encontram com lotação bem próxima do limite.

A prefeita também explicou aos manifestantes sobre a grande dificuldade encontrada pelos gestores neste momento para concretizar as ações de contratação de mais profissionais de Saúde, o que é de suma importância e tem sido um dos principais focos da Secretaria Municipal de Saúde.

Os representantes do comércio reforçaram sua principal pauta que é a ampliação do horário de funcionamento do delivery, alegando que o novo decreto causará grande dificuldade no quesito econômico dos setores que atuam com alimentação, principalmente, no período noturno. O pedido é de que os pedidos possam ser entregues até às 23h, sendo que foi proposto que os trabalhadores que forem atuar nas entregas durante o toque de recolher poderão ser cadastrados para que uma lista possa ficar na posse da Polícia Militar de Militar de Minas Gerais – PMMG, como forma de facilitar a fiscalização.

Adson Menezes, representantes de um serviço de transporte por aplicativo, também demonstrou insatisfação com o horário imposto pelo novo decreto para o início do toque de recolher e o encerramento das atividades. Ele também frisou que o intuito seria que apenas os manifestantes realmente interessados em discutir sobre a possibilidade de ampliação do horário do delivery. “A desorganização vista lá fora teve início por politicagem feita por pessoas mal-intencionadas, que se aproveitam de um movimento legítimo para praticarem autopromoção”, disse.

A chefe do Executivo participará de mais reuniões previamente agendadas nesta tarde e se posicionará sobre o tema levantado pelos manifestantes ainda hoje. O texto prevê, por exemplo, que o delivery de comida pode funcionar todos os dias das 8h às 19h, enquanto o atual decreto com regras de enfrentamento à Covid-19 estiver vigente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *